28
Fev 09

          Esta etapa tem como propósito melhorar a saúde de todas as mães no mundo durante o período de gravidez e um ano após o parto. A taxa de mortalidade materna consiste no número de mulheres que morrem 42 dias após a gestação.
       Esta meta tem como objectivo a criação de condições hospitalares e a mudança da mentalidade das mulheres, incentivando o acompanhamento durante o período de gestação.

  

Salvar a vida das mães e dos seus bebés recém-nascidos
requer mais do que uma intervenção médica.

Ann Veneman

publicado por SOS África às 23:22

24
Fev 09

      

             
              Dar prioridade às crianças, por exemplo, em acções do quotidiano como as refeições é usual e frequente em países desenvolvidos como Portugal. Na Guiné, os papéis são invertidos: as crianças estão sempre num plano inferior aos adultos.
           A morte das crianças é aceite com alegria levando até à realização de rituais. Será o sofrimento de viver que os leva a celebrar a morte de crianças?
            São inúmeras as causas que elevam a taxa de mortalidade infantil em países em desenvolvimento:
  • a falta de condições habitacionais e ambientais;
  • a falta de hospitais e médicos qualificados;
  • prevenção atempada contra doenças;
  • inexistência de plano de vacinação contra a malária, HIV e pneumonia, as principais doenças causadoras de morte.
        A foto acima foi retirada do blog http://hakunamatatayeto.blogspot.com/.
publicado por SOS África às 16:24

21
Fev 09

         Para promover o nosso blog na comunidade escolar e incentivá-la ao conhecimento dos oito objectivos do milénio, afixamos este cartaz em vários locais da nossa escola.   

publicado por SOS África às 23:20
tags: ,

17
Fev 09
 
Chegou,
De sorriso terno e desconfiado,
Os olhos cansados, os braços parados,
A boca ausente, que nada promete,
A roupa garrida, gasta e curtida,
Pelos sois e chuvas, de toda uma vida.

Chegou,
De mão estendida, sofrida,
Esperando a ajuda prometida,
Sem palavras, os lábios sem côr,
Os olhos cansados, os braços parados,
Sofrendo, calada, sem gritos de dor.

Pediu,
Mas pediu com o orgulho de quem merece,
Como se, na nossa ajuda modesta,
Atendendo à sua muda prece,
Pudéssemos pagar todo o preço,
Que, na África das savanas,
Pagam, todos os dias, as mulheres africanas.

Partiu,
De olhos cansados,
De corpo parado,
Sem se deter,
Com um obrigado.

Assim é
a Mulher Africana,
Rainha de tudo,
Dona de nada.

 

Pedro Moço

 

                 A única semelhança entre uma mulher africana e uma mulher portuguesa é a sua capacidade de gerar um novo ser. Poucos pontos de contacto existem entre elas: a disparidade é enorme. Uma mulher portuguesa tem a possibilidade de escolher o seu futuro, pois teve educação e hoje pode optar pela sua profissão, enquanto que a mulher africana teve simplesmente a escola da vida: sujeita-se às ordens do marido do qual tem vários filhos e o seu trabalho é cuidar deles e ensiná-los a realizar as tarefas que permitem a sua sobrevivência, tal como plantar e colher frutos e legumes nos campos.
                 A ONU lembra que «todos os Homens são iguais, independentemente do sexo». No entanto, nestes países em desenvolvimento, os direito Humanos são na maior parte das vezes distorcidos da realidade e criados de modo a beneficiar o homem, prejudicando assim a mulher que é muitas vezes vítima desta injustiça.  
                A foto acima publicada foi retirada do blog http://psvicente.blogspot.com bem como o poema, da autoria do geólogo Dr. Pedro Moço. 
publicado por SOS África às 13:08

14
Fev 09

            

             A educação é o meio que possibilita o sucesso de cada indivíduo na sociedade. Embora seja extremamente necessária, ainda existem aldeias como Empada onde as crianças não vão à escola porque é necessário ajudarem os pais a garantirem algum dinheiro e para sustentar a família: trabalham horas no campo e sobretudo na pesca para levarem alimento para casa, onde habitam quase sem condições mínimas. É esta a realidade de muitas crianças e jovens que não têm uma vida como a nossa e vivem o dia-a-dia não a lamentarem o que não têm mas sobrevivendo com o que têm, que é pouco ou mesmo nada.
publicado por SOS África às 10:54

08
Fev 09
publicado por SOS África às 11:08

Qual dos Oito ODM se concretizará primeiro?
Erradicar a pobreza extrema e a fome
Alcançar o ensino primário universal
Promover a igualdade de género e a capacitação das mulheres
Reduzir a mortalidade infantil
Melhorar a saúde materna
Combater o HIV/SIDA, Malária e outras doenças
Garantir a sustentabilidade ambiental
Criar uma parceria mundial para o desenvolvimento

arquivos

 

Projecto DEL 8

Escola ES/3 De Carvalhos

12ºA


Ana Carolina

Ana Catarina

Carla Pereira

Cátia Nogueira


Visitas

Multimédia


MusicPlaylist
Music Playlist at MixPod.com

pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
blogs SAPO